out 312019
 

Cafezinho – prove que você “perdeu os critérios!”

Arthur de Faria foi demitido. Assim começava o Cafezinho daquele dia de maio de 1998. Ele havia sido avisado. Se comparecesse a um show, dele próprio, Arthur de Faria e seu conjunto, na Unisinos, seria demitido da rádio. Porque o show era promovido por uma emissora concorrente dentro de uma universidade também concorrente da Ulbra. A promessa foi feita ao vivo pelo “seu” Ulbra, ou o nosso “dono”, o Vice-Reitor da Universidade, Leandro Becker. Começamos o programa com um certo ar de lamento pelo fato, porque, afinal, Arthur era um bom companheiro.

Logo no início do programa começaram a chegar mensagens, reclamando porque mandar embora um funcionário tão criativo e conceituado por um motivo tão absurdo. À medida que o tempo passava aumentava a correspondência pedindo a volta do Arthur e o Cafezinho ia em frente dando sequência à polêmica instaurada.

Surpreendia a nós o número de manifestações, não que o Arthur não as merecesse, veja bem! Mas pelo tom de veracidade que conseguíamos passar no ar, uma vez que até mesmo pessoas mais próximas à rádio e ao Arthur estavam sensibilizados acreditando naquilo que, na verdade, era tudo mentira. O próprio Arthur nos entregava os recados, orgulhoso pelo carinho recebido dos ouvintes. A farsa ganhava requintes de ficção. O que era para durar 10 minutos já se alongava por uma hora, ficando a decisão para o dia seguinte. As mensagens de apoio à permanência do Arthur continuariam a chegar durante todo aquele dia.

A volta do que não foi. No dia seguinte, então, combinamos começar o programa lamentando o ocorrido e pedindo ao nosso “dono” que reconsiderasse a sua decisão, diante de tantas manifestações pró-Arthur. Continuaríamos a brincadeira por uns 15 minutos e depois esclareceríamos tudo chamando o Arthur de volta. Mas o assunto continuava “rendendo” no ar. Era muita gente se manifestando. E assim chegávamos ao final do segundo programa. Colocamos o “seu Ulbra” no ar e ele então decidiu o que o Arthur poderia voltar. Como estava previamente combinado. É a conhecida história do rádio mexendo com a imaginação do ouvinte e, principalmente, com a credulidade do vivente. Com seis meses de existência o Cafezinho nos mostrava a sua força.

 Leave a Reply

(required)

(required)

Grato por sua visita!
%d blogueiros gostam disto: