Home |

 

Blog

|

Procurando por: Paul

Ocidente

04 de Desembro de 2010 | Tags: Ocidente aniver
Ocidente 30 anos.
Atenção: texto não revisado, na pressa, mete assim mesmo....
Então. Eu fui na inauguração do Ocidente. Fui na festa de 10 anos, 20 anos e ontem...30 anos de um dos bares mais clássicos de Porto Alegre. Me refiro bastante ao bar no meu livro Prezados Ouvintes. Tem informação aqui no site. Mas, quando cheguei a Julia Barth, filha do Fiapo Barth (o dono do Ocidente) que eu vi crescer ali entre as mesas do bar, já avisava: “é bom comer alguma coisa porque tem 800 garrafas de champagne, praticamente uma pra cada convidado!”  Eram apenas 20 horas e 15 min e o povo já chegava em seus modelitos variados. Site de moda fotografando os modelos mais interessantes ou exóticos. Encontro a Eliane Steinmentz, cachoeirense como eu, e que fazia o programa de auditório Viva a Gorda! no final dos anos 80, com muito sucesso em Poa. E ela me diz, "espera até a hora que eu vou sair do bolo!". Quanto vinho de garrafão tomei nas festinhas que a Gorda, a Eliane, fazia naquele apto da Demétrio no tempo da faculdade... evidentemente não vou falar de tudo e nem de todos que foram ontem ao ocidente comemorar os 30 anos do bar. Até porque fui embora cedo, considerando que a festa deve ter ido até a manhã de hoje. Mas, muitas pessoas que fazem parte da vida cultural, profissional e pessoal, de todos nós e da cidade de Porto Alegre, estavam lá. Figuras que eu sempre vi no Ocidente e nunca soube nem o nome. Outros freqüentadores tão assíduos e famosos na história do bar, mesmo não sendo pessoas da “mídia” ao lado do Jorge Furtado, que hoje escreve roteiros pra Globo! Um abraço apertado de Edu K, essa figura que influenciou muita gente no rock brasileiro com o seu De Falla. Tá gordinho o Edu... mas tem quem não tá? Sim. O Jimi Joe ta magrão enfrentando bravamente seu probema renal. Recordamos de quando passávamos fitas de VHS piratas do Prince e do The Cure no Ocidente cobrando ingresso!!! E lotava! No som neste momento estava o Dante Longo que eu conheci assim que cheguei em Porto Alegre em 78, 79, nas festinhas na garagem do edifício Dom Felipe ali na Duque. O Dante ainda mora lá! O Zé Adão Barbosa, sentado próximo ao balcão, recebia os cumprimentos como quem diz, "vinde a mim as crianças que eu vos abençôo e serei abençoado!". O Giba Assis Brasil comentando as eleições do Inter (somos companheiros de chapa lá no conselho). O Renatão, fundador de outro bar clássico na cidade, o Elo Perdido com seu sorriso aberto e tradicional. Algumas pessoas se assustando ao se encontrar. Tu ta vivo? E vai um abraço forte! Só o ocidente poderia proporcionar uma noite dessas. Tantas pessoas que  por algum vínculo: o teatro, o cinema, o rock, a música eletrônica, os anos 80, as tendências sexuais (a certa altura ouço um comentário de um ator gaúcho: “tem bicha aqui que já é avó!” ) todos unidos por alguma coisa que podemos dizer que é a vida em Porto Alegre nos últimos 30 anos. A família Ocidente. Se bem que família não seria bem o termo. Mas pensando bem, quantos filhos já na atividade artística estavam ali ao lado, ou quase, dos seus pais. Então família sim...que briga e festeja unida. Lembrei que tem um vídeo na internet sobre o Araújo Viana que diz muito do Bom Fim e do ocidente, por supuesto. Acessa lá: araujovianna.com.br. Encontro o Eber, que ajudou a produzir o filme do Cio da Terra e que é pai de uma menina que também cresceu ali no Ocidente, a Amora, lembramos de verões na praia do Rosa, mas é melhor não se estender muito nessa divagação. Vida longa ao Ocidente. Depois do show do Paul, a festa de 30 anos do ocidente foi o evento do ano! Risos!!!

O show da minha vida foi no Beira Rio!

14 de Novembro de 2010 | Tags: Paul

    Me perguntaram se o show do Paul Maccartney foi o show da minha vida. Passados alguns dias do show, exatamente uma semana, eu não tinha pensado nesses termos, mas tenho que admitir. Sim é o show da minha vida. Em nenhum outro show eu chorei e me arrepiei tantas vezes. E por isso já bastaria. Mas em nenhum outro show eu vi passar em cada música um pedaço da minha vida, como se fosse um filme. Em "My love" por exemplo, que ele fez para a sua gatinha Linda...eu lembrei que eu ficava esperando pra gravar na parada de sucessos de alguma rádio AM de Porto alegre (farroupilha, difusora.....) e gravava num cassete com microfone embutido. Um National ou seria Transiscorder? E lembro que um dia estava gravando com o rádio no volume bem alto (pra ficar bom o som da gravação pelo microfone) e a minha mãe entrou no quarto reclamando do volume e atrapalhou a gravação...Aquelas imagens dos beatles passando na tela no fundo palco.. A homenagem ao George harrison o meu beatle preferido em termos de estilo.. Something... uma das minhas cinco músicas preferidas de todos os tempos. Band on the run, outra das minhas cinco preferidas de todos os tempos no mesmo show! Band on the run eu coloquei de trilha nas fotos que passaram no meu aniversário de 50 anos! Os inúmeros torpedos que recebi quando ele começou a tocar Band... gente que me conhece, sem dúvida... Por isso e por muito mais, esse foi sim o show da minha vida. E olha que já vi coisas...voltarei ao tema. Semana que vem tem mais!

Hora do Rush - Especial Paul Mccartney 28/11/2010

04 de Novembro de 2010 | Tags: Paul Mccartney

Tudo o que rolou no Especial Paul Mccartney na Hora do Rush no dia 28/11/2010.

1 - I Lost My Little Girl – CD Unplugged - 1991
2 - We Can Work It Out – DVD Unplugged – 1991
3 - 20 Flight Rock – CD Album Russo – 1988
4 - I Saw Her Standing There – CD Please Please Me – 1963
5 - Blackbird – DVD Good Evening New York City – 2009
6 - Band on the Run – CD Band on the Run – 1973
7 - Live And Let Die – CD Wings Greatest Hits – 1979
8 – Silly Love Songs – CD Wings at the Speed of Sound – 1976

O acaso vai me proteger

05 de Janeiro de 2010 | Tags: Titãs

Hoje enquanto  caminhava pelo bairro depois do trabalho lembrei do verso : “o acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído” da música Epithafio do Titãs. Lembrei que o Marcelo Fromer morreu atropelado enquanto caminhava por uma rua de São Paulo. Mas nunca tinha prestado atenção no fato de que a música era dele. Mais tarde resolvi, assistir  o DVD do filme Titãs – a vida até parece uma festa, e, de repente aparece uma cena em que eles ensaiam a música Epithafio e aparece o Marcelo Fromer cantarolando e aparecem cenas da televisão por ocasião de sua morte. Me dei conta que eu não havia visto na TV aquelas imagens na época, ou talvez tenha visto e não lembrasse mais. Por isso e por alguns outros motivos, é legal o filme do Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves.

      E é bacana o filme, principalmente pra quem viveu boa parte dos acontecimentos que envolveram os Titãs como eu e tanta gente que ouviu e curtiu o rock brasileiro dos anos 80 até agora. Trata-se de uma banda poderosa em energia  e som e contou com caras que contribuíam muito, a seu modo, para que banda fosse o sucesso que acabou acontecendo. O Arnaldo Antunes com suas performances visuais e grande participação vocal. (No filme dá pra ver que havia também forte contribuição musical dele também). O Nando Reis e suas baladas certeiras. Coincidentemente ou não, ambos deixaram a banda. A gravação com Roberto Carlos que eu também não havia visto ou não lembrava, cantando “é cedo ou tarde demais, pra dizer adeus, pra dizer jamais” uma música que eles gravaram no primeiro acústico MTV que fez a banda ressurgir nas rádios com força total e que se trata de uma canção excelente, que eu ouvia repetidamente e não me cansava de ouvir, coisa que é comum acontecer com os grandes hits.  O filme mostra também como a banda ficou chata (na minha opinião, evidentemente) naquela fase heavy metal! E lembrei de algumas cenas com a banda. Quando eles estiveram no RS logo no início, ainda não tinham feito sucesso, e se apresentaram pra poucas pessoas num circo em Capão da Canoa. Também de um coquetel de lançamento do primeiro disco que aconteceu na Crocodillus em Porto Alegre... e um show deles no Gigantinho em que eu entrei no camarim após o show e havia uma mesa posta com muita comida, frutas e etc..e eles destruíram tudo com os talheres, cortaram tudo em pedaços e não comeram nada, mas certamente beberam tudo e certamente haviam consumido tudo de outras coisas e eu achei aquilo um absurdo, mas enfim, era rock n roll! O fato é que na peneira ficaram coisas legais dos Titãs, canções, várias...Sonífera ilha é uma grande canção deles e voltando ao Epithafio,  é uma das  coisas legais produzidas por eles recentemente. Legal também a versão do Tangos e tragédias pra essa música que eu rodava seguidamente na Hora do Rush! “A vida até parece uma festa e o acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído"...