Home |

 

Blog

|

Pra viajar no cosmos !

Pra viajar no cosmos !

12 de Agosto de 2015 | Tag: #nei lisboa, #primeira gravação
No final dos anos 90 quando estava escrevendo o livro Prezados Ouvintes lembrei da primeira gravação do Nei Lisboa feita em estúdio (na ISAEC) da música "Pra viajar no cosmos não precisa gasolina". O próprio Nei me entregou uma fita de rolo BASF com a gravação que comecei a rodar na Bandeirantes FM, cujo estúdio ficava ali na rua José Bonifácio. Sempre achei essa primeira gravação que foi feita em 1981 melhor do que a do disco (a música foi regravada para o disco tempos depois) e então resolvi procurá-la. Na Ipanema FM não havia mais o "cartucho" com a música. Hoje não há mais nem a rádio. Liguei pro Nei e ele me disse que não tinha mais a fita com aquela primeira versão. Então comecei a procurar entre alguns amigos e acabei conseguindo três versões em fita cassete. Uma delas com o Augusto Licks (guitarrista que participou da gravação), outra com o  músico Felipe Franco e fiquei sabendo de uma terceira fita (também cassete) do cineasta Giba Assis Brasil. Então peguei a fita e passei pra um disquete. Isso foi ja no final dos anos 90 num período em que o computador ainda não tinha a importância que depois viria a ter no processo tecnológico das emissoras de rádio e de nossas vidas. Agora recentemente achei esse disquete e de novo o problema. Como vou "rodar" ou escutar a gravação. E será que ainda roda? Encontrei também um MD aparelho que foi utilizado por um tempo curto naquela época pré computador e que rodava o tal disquete. Liguei o MD, coloquei o disquete e... rodou! Agora compartilho essa gravação histórica do Nei Lisboa. Não sei se lembro de toda a banda que o acompanha nesta gravação. O guitarrista é certo, era o Augusto Licks. O piano/teclado era o falecido Glauco Sagebin. No baixo era o Bulita e o baterista? Seria o Luiz Everling que tocava também com o Gelson Oliveira? Deixo a dúvida para os amigos contribuirem! Essa gravação foi resgatada sem nenhum filtro e ou efeito. É um registro de uma época analógica!