Home |

 

Blog

|

Festa Boys

Festa Boys

11 de Desembro de 2010 | Tag:

Festa Boys – 10 anos!

 

Tudo começou num bar chamado Elo Perdido que existia ali na Garibaldi. O pessoal do bar me convidou pra fazer um som lá. Naquele momento o hip hop era o que bombava na pista do Elo. Mas como essa não era a minha praia resolvi tocar anos 80 naquela noite do já distante ano 2000. A festa foi legal, bacana. Apesar de alguns freqüentadores assíduos do bar me pedirem pra rodar rap, hip hop,  compareceu uma galera que curtiu o revival oitentista. Dias depois me liga o Branco que estava tocando o antigo Porto de Elis, agora com o nome Teatro de Elis e sugeriu que eu fizesse uma festa lá. Eu disse a ele que tinha feito essa noite do Elo Perdido e ele achou legal. Então chamei a festa de Boys don’t cry porque já existia o programa na rádio nas tardes de sábado. E lá fui eu com as primeiras coletâneas de anos 80 gravadas em CD. Aquele case enorme com CDs dentro das caixinhas já era passado. E não é que foi um sucesso a festa? Mesmo com a estrutura precária do Teatro de Elis (a porta do banheiro por exemplo, caía a todo momento) o clima underground do bar completamente escuro porque não tinha sistema de iluminação. Mas o som era bom, o clima era bom e a primeira boys lotou. Assim, resolvi fazer a segunda, e terceira e daí não parou mais.

Depois disso, a boys passou por várias casas noturnas, praticamente todas de Porto Alegre, ou melhor, somente no Ocidente eu não fiz a festa. Nas outras todas rolou. Algumas que nem lembro o nome agora porque existiram por pouco tempo. Outras foram marcantes, como o Cine Teatro, o ex Ovo de Colombo na Cristóvão, cujo espaço físico é um dos melhores. As grandes festas do DC Navegantes, no auge do movimento em torno dos anos 80. Aquela noite fatídica da Liquid onde muita gente ficou na fila quase toda a noite pra conseguir entrar, sendo que teve gente que foi embora depois de muita espera. A Liquid era um lugar que já bombava narturalmente com seu público ávido por música eletrônica do momento e a Boys levava muita gente. Daí a confusão se deu! Mesmo assim a festa foi boa. Pra quem conseguiu entrar, logicamente.

Muitas estórias que depois podemos ir lembrando e postando aqui. Mas fica o registro dos dez anos da Boys don’t cry que chegou até aqui em função de uma galera que curte muito o som daquela época e também uma galera mais jovem (em menor número, é claro, que se identifica com o som da festa, com as bandas). A boys tem vários seguidores há muitos anos. Mesmo que alguns tenham desistido das festas por motivos variados , outros dão um tempo e voltam. Tem até uma galera que criou o Suburbio, um grupo de amigos que surgiu através da festa e dos chats em torno das músicas dos anos 80. E assim vimos  o surgimento de várias festas do gênero. E será que vai continuar a festa? Não sei. Nunca soube. Assim como não sei onde faremos as próximas. Foi assim durante esses dez anos.  E assim chegamos até aqui.  E enquanto houver uma galera a fim de curtir o som dos oitenta e pouquinho de 90 também pra ficar um pouco mais atualizado, estaremos lá.  E nesse sábado, dia 18 vamos comemorar os 10 anos no Dhomba, com show dos meus amigos da Pop Rock all star tocando um set oitentista.  Vou relembrar mais algumas histórias da Boys e depois volto ao tema. Saudações!